Nossa Anadia, Nossa Notícia.

O conteúdo que Anadia merece.

Mais Saúde

Impotência Sexual Masculina - Domingo, 21 de Fevereiro de 2016

A Impotência Sexual Masculina, ou disfunção erétil, é a incapacidade do homem de obter e manter uma ereção plena em, pelo menos, 50% das tentativas durante a relação sexual. Essa disfunção incapacita o homem a manter ereções suficientemente rígidas para a penetração vaginal, impedindo a satisfação sexual.

A saúde sexual é atualmente um importante fator na qualidade de vida das pessoas. Apesar de não ser um problema de saúde que traga riscos à vida, a disfunção erétil, pode trazer consequências indesejáveis à vida pessoal, influindo nos relacionamentos e autoestima da pessoa, podendo, inclusive, levar a problemas psicológicos, como à depressão.

Geralmente, a Impotência Sexual Masculina, afeta 1 em cada 10 homens e pode se manifestar em diferentes graus e faixas etárias, atingindo jovens, adultos e idosos. Ela pode ocorrer de forma progressiva, levando até mesmo meses ou anos para se consumar. Em outros casos, porém, pode ocorrer de forma súbita.

É importante notar que ter dificuldades eventuais na ereção não é considerado impotência. Para que seja considerada disfunção erétil o homem precisa ser incapaz de ter ou manter ereções em pelo menos 50% das tentativas. Não conseguir ter ereção satisfatória por vez ou outra é completamente normal e acontece com todos os homens, mesmo os mais jovens.

 

CAUSA

Apesar da idade ser popularmente conhecida como o principal fator de risco que leva a Impotência Sexual Masculina, na verdade, o envelhecimento em si não é tão culpado quanto as doenças que surgem com ele. Uma pessoa mais velha e completamente saudável sem medicamentos é plenamente capaz de conseguir ereções satisfatórias na maioria dos casos. Portanto, um homem saudável de 65 anos pode ter mais “potência” que um homem de 40 anos com histórico de diabetes e doenças cardiovasculares.

Entre as doenças e problemas mais relacionados à Impotência Sexual estão:

  • Distúrbios psicológicos (como estresse e ansiedade);
  • Doenças hormonais (diabetes, queda de testosterona, problemas endócrinos);
  • Doenças neurológicas (lesões na medula, mal de Alzheimer e Parkinson);
  • Doenças vasculares, que causam entupimento das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis (hipertensão arterial, aterosclerose);
  • Consumo excessivo de medicamentos;
  • Alcoolismo e tabagismo.

 

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico da Impotência Sexual Masculina é inicialmente feita através da coleta do histórico do paciente, e havendo necessidade serão realizados alguns exames para fechar o diagnóstico.

Alguns exames que são realizados para detectar a disfunção erétil:

  • Teste de intumescência peniana noturna - realizada com auxílio de equipamentos específicos. Como todo homem tende a ter ereção dormindo, o aparelho mede a sua qualidade e a quantidade durante determinada fase do sono. O equipamento possui dois anéis conectados a eletrodos, colocados em volta do pênis, que analisam a qualidade das ereções noturnas e traçam um gráfico completo. Se as ereções espontâneas forem satisfatórias, significa que o sangue chega ao pênis e é corretamente represado. O distúrbio, portanto, tem fundo psicológico;
  • Ecodoppler Peniano - Outro recurso usado para o diagnóstico da disfunção erétil , este é utilizado para medir o fluxo arterial e identificar eventuais obstruções arteriais penianas;
  • Injeções Intracavernosas – Trata-se de um método menos popular, onde uma substância é injetada dentro do corpo cavernoso do pênis que leva ao aumento do fluxo sanguíneo das artérias na região, diminuindo o calibre das veias e relaxando a musculatura local, produzindo dessa forma a ereção. O exame é feito no consultório médico e o remédio faz efeito em 10 a 20 minutos. Quem tem problemas psicológicos responde positivamente a este exame.

 

TRATAMENTO

O tratamento para impotência sexual masculina deve ser feito por um urologista. Após ser detectada através de um diagnóstico clínico, existirão vários recursos para o tratamento que serão aplicados conforme a causa que levou a disfunção erétil. Portanto, como opções de tratamento têm-se:

  • Remédios: como Sildenafil, Cloridrato de vardenafila ou Tadalafila, que ajudam a aumentar o fluxo de sangue no pênis;
  • Reposição hormonal: remédios em forma de cápsulas, adesivos ou injeções, que aumentam os níveis de testosterona, facilitando a ereção;
  • Psicoterapia: sessões de terapia que ajudam o indivíduo a evitar sentimentos que afetam a ereção, como ansiedade, medo ou culpa;
  • Cirurgia: serve para colocar implantes e próteses penianas que ajudam na ereção do pênis.

Existem ainda cremes para impotência sexual masculina, como o Topiglan, que podem ser aplicados sobre o pênis e que, dependendo da causa da impotência sexual masculina, ajudam a manter a ereção.

 




// Deixe seu comentário

Loanne Vasconcelos


Sobre o autor
Fisioterapeuta, Pós-Graduada em Saúde Pública, Pós-Graduada em Traumato-Ortopedia, Coordenadora da Unidade de Fisioterapia do Instituto Galba Novaes de Castro.