Nossa Anadia, Nossa Notícia.

O conteúdo que Anadia merece.

Cultura e Meio Ambiente

Vamos Preservar a Natureza Terça-Feira, 07 de Outubro de 2014

Quero iniciar meus escritos parabenizando a iniciativa do jovem jurista e destacado advogado Dr. Aguinewton Dâmaso, de podermos, através do site NOSSA ANADIA.COM.BR, levarmos informações, notícias, crônicas, artigos e tudo mais que possa ajudar  o nosso povo que utiliza as redes sociais e a internet como instrumento de comunicação social.

A nossa Anadia é um dos mais belos lugares, que reúne o bucolismo de uma antiga VILA, onde conviveram índios, brancos e negros, a margem direita do rio São Miguel.  Segundo os antigos moradores e os relatos dos livros de história, fora no antigo território deste município que, em 1500 ( hum mil e quinhentos ), foi avistado pela esquadra de  Pedro  Alvares Cabral, o primeiro monte do nosso país continente, a Serra da Nacêia, hoje localizada em território limítrofe dos municípios de Boca da Mata e Atalaia.  Nossa Anadia, em sua posição geográfica privilegiada, era o início da mata Atlântica de quem vinha do Oeste, sertão e agreste rumo ao litoral e zona da mata.

Faço questão de lembrar nosso passado para que possamos viver o presente, levando esta mensagem para todos os leitores e participantes deste site.  Nossa mensagem é no sentido de conscientizar a população, não só do nosso município, mas de todo o planeta, sobre a responsabilidade de nossa consciência ambiental, numa caminhada ecológica que promova iniciativas juntamente com as secretarias de Meio Ambiente, Educação, Saúde, Sindicatos, Câmara Municipal, ONGS, Associações de Moradores, Igrejas, e principalmente Comerciantes, Empresários, Industriais, Agropecuaristas, Agricultores, Pescadores, dentre outros.

Todas as enchentes - inclusive algumas delas provocando tragédias com vitimas e grandes prejuízos econômicos, como a mais recente ocorrida em junho do ano de 2010, onde dezenas de cidades pernambucanas e alagoanas foram destruídas com mais de 60 vítimas fatais e milhares de desabrigados e desalojados - mostra quanto somos sujeitos a sofrer estas mudanças climáticas.  Somos testemunhas do agravamento de fenômenos naturais, como a seca no semiardido nordestino e hoje em regiões do sudeste e sul do nosso país, ameaçando o abastecimento de milhões de habitantes de grandes metrópoles como São Paulo. Tais fatos são consequências da falta de planejamento e de respeito ao meio ambiente. 

Só neste início de século 21, assistimos frequentemente a devastação de cidades, estados, países, e até continentes estão ameaçados.  Tudo isto prova que, para a natureza, todos somos iguais, não existe separação de classe social, raça, cor, nacionalidade ou espécies.

Com o desequilíbrio ecológico causado pela extinção de outros seres, a exemplo da flora e da fauna, vidas são ceifadas constantemente e não podemos fazer vista grossa.  É preciso urgentemente fazer plantio de árvores para que haja o habitat de outras espécies.  As novas construções precisam de planejamento que evitem ocupação inadequada nas áreas de riscos, sob o ponto de vista geotécnico, tanto nas áreas urbanas quanto nas áreas rurais.  Por tudo isto e outras várias razões, conclamamos que sejam criadas APAS (Áreas de Preservação Ambiental), e nas regiões de encostas, APPS (Área de Proteção Permanente), não esquecendo inclusive, de recuperar e cuidar das Matas Ciliares.  Com estas iniciativas haverá possibilidades de receber incentivos financeiros dos governos federal e estadual, além de indústrias e empresas interessadas neste assunto.

No último dia 22 de setembro, entramos na estação da Primavera, conhecida como a estação das flores, e já constatamos a temperatura bastante elevada, na média dos 30° (trinta graus centígrados). Precisamos promover palestras como início de atividades, num projeto de arborização urbana incentivando cada morador a adotar uma árvore, cuidando e regando a mesma; recuperação das nascentes dos riachos e suas matas ciliares: Brejinho, Tijuco, e Santa Cruz, que são afluentes da margem direita do sofrido rio São Miguel.

Com estas atitudes, nós começamos a fazer nossa parte. A arborização trará beleza, frescor, ar puro e sombra que irá nos proteger do sol escaldante.  Assim, teremos uma melhor qualidade de vida, embelezamento, retendo as partículas de poeira em suas copas e servindo de abrigo aos pássaros e outros animais.  Portanto, peço encarecidamente a nossa sociedade anadiense e aos povoados e fazendas e ao povo em geral: abrace esta causa! CONTAMOS COM VOÇÊS!!! 




// Deixe seu comentário

Antero Almeida


Sobre o autor
Comunicador Social, Graduado em Jornalismo e Relações Públicas.


Artigos relacionados