Nossa Anadia, Nossa Notícia.

O conteúdo que Anadia merece.

Coluna do Dresch

Alagoas encerra amanhã a colheita de soja Quinta-Feira, 12 de Novembro de 2015

                   Acontece nesta sexta feira, no município de Junqueiro, a última colheita de soja não transgênica em Alagoas em 2015. A colheita acontece na Fazenda Santa Alice, no Povoado Caiçara e estão previstas as presenças do governador Renan Filho e do Secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Alvaro Vasconcelos. A soja plantada em Alagoas neste ano seria um experimento alternativo para o setor Sucroenergético alagoano. Foram plantados 400 hectares com soja, nos municípios de Junqueiro, Campo Alegre, Teotonio Vilela e Porto Calvo. A soja colhida foi vendida para a Europa obtendo um excelente preço (entre R$ 88 a R$ 97 a saca), mas o mais importante é que mostrou a potencialidade de Alagoas produzir o grão.

Colheita da safra de soja 2

                   No total, foram plantados com soja mais de 400 hectares no estado. Em conjunto, foram plantados também 30 mil hectares de milho, que poderá gerar cerca de 60 mil toneladas para grãos e forragem, volume três vezes maior que no ano anterior. Assim como a soja, o milho também terá uma atenção especial no próximo ano, uma vez que os experimentos de 2015 refletiram excelentes perspectivas agrícolas para os dois produtos no próximo ano. A soja que será colhida nesta sexta feira em Junqueiro também poderá ser utilizada como semente para outras regiões e isso garante um excelente valor agregado.

Calendário eleitoral

                   O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na última terça feira, o calendário para as eleições municipais do próximo ano. O Calendário Eleitoral das Eleições Municipais de 2016 define as datas que devem ser respeitadas pelos partidos políticos, candidatos, eleitores e pela própria Justiça Eleitoral. O Calendário aprovado inclui as alterações provocadas perlo Congresso Nacional em Setembro deste ano, especialmente em relação á duração do processo eleitoral, das convenções partidárias, da data limite para registro das candidaturas e outras mudanças aprovadas. A eleição vai acontecer no dia 2 de Outubro, e em caso de necessidade de segundo turno (para cidades com mais de 200 mil habitantes) a data é de 30 de Outubro. O candidato deve estar filiado no partido até o dia 2 de Abril de 2016 (seis meses antes). As convenções partidárias para escolha dos candidatos e as decisões sobre coligações devem ocorrer de 20 de Julho a 5 de Agosto (no prazo antigo as convenções deviam acontecer entre 10 a 30 de Junho do mesmo ano). Os pedidos de registro de candidatos devem ser apresentados pelos partidos aos cartórios eleitorais até ás 19h do dia 15 de Agosto. Pela regra anterior este prazo era até 5 de julho. O novo calendário também incorpora a redução da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, previstas para começar em 16 de Agosto. O período da propaganda dos candidatos no rádio e na TV foi diminuído de 45 para 35 dias, começando agora em 26 de Agosto, em primeiro turno.

Meirelles na mira

                   O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não esconde mais que pretende pressionar o governo a demitir o Ministro da Fazenda Joaquim Levy. Lula esta defendendo a substituição de Levy pelo ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles. Lula desembarcou ontem em Brasília para acelerar os contatos políticos para efetivar a substituição. Há menos de um mês, Lula conversou com a Presidente Dilma Rousseff sugerindo a mudança, mas foi solicitado um prazo até o final do ano. Agora Lula considera que o momento é de antecipar a mudança, até para criar um novo mecanismo para superar a crise política.

Meirelles na mira 2

                   A antecipação da mudança é justificada pelo ex-presidente e sua equipe em função do agravamento da crise e pelo congelamento no Congresso, das medidas propostas pelo Ministro Levy. Nenhuma delas foi votada até agora após a reforma ministerial. Já Henrique Meirelles tem conversado com diversas pessoas do mercado financeiro, de centrais sindicais e de instituições diversas do segmento. Meirelles aceita o cargo, mas estabelece algumas condições, como o controle do Banco Central e o apoio incondicional da base aliada no Congresso.

As detentas gestantes

                   Um estudo realizado nos presídios femininos de todas as capitais brasileiras e regiões metropolitanas, mostrou que 65% das detentas gestantes condenadas poderiam cumprir prisão familiar. Isso se deve ao fato desse público alvo ter cometido crimes de menor poder ofensivo, como porte de drogas e pequenos furtos, além de serem penas provisórias. O Estudo Saúde Materno-Infantil nos Presídios, feito pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, foi apresentado esta semana. O objetivo é mostrar que a lei já decidiu que esta mulher não deve ir para o presídio “mas ela esta lá” diz a coordenadora da pesquisa Maria do Carmo Leal.

As detentas gestantes 2

                   Foram entrevistadas na pesquisa 447 presas, que avaliaram questões relacionadas à saúde, a fatores psicossociais e outros aspectos. A pesquisa concluiu ainda que as crianças destas gestantes também têm os direitos fundamentais violados. “É uma criança que nasce presa, literalmente, e tem uma série de condições a que ela teria direito como cidadã, e não tem” diz Maria do Carmo. Outros dados da pesquisa mostram que 4-% das presas gestantes têm mais de quatro filhos, boa parte tem um histórico grande de abortos, perdas fetais e óbitos neonatais. 51% delas ainda tentaram o aborto na atualidade e 50% tiveram depressão pós-parto.

  • Portaria assinada pelo Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e publicada no Diário Oficial da União, prorrogou, mais uma vez, o prazo de permanência da Força Nacional em Alagoas, por mais 90 dias.
  • O Ministro afirmou que atendeu solicitação do governador Renan Filho para que a Força continuasse seu trabalho conjunto com outras unidades de segurança.
  • A Força esta em Alagoas desde 2012 e faz o patrulhamento preventivo, em parceria com a Polícia Militar e Polícia Civil, nos bairros com altos índices de crimes violentos, em Maceió e em Arapiraca.
  • O trabalho da Força Nacional é sempre destacado pelo Secretário de Segurança Pública Alfredo Gaspar de Mendonça Neto e também pela própria Secretária Nacional de Segurança, Regina Miki.
  • Alagoas conseguiu reduzir em 22,9% o índice de crimes violentos com mortes no primeiro semestre deste ano, um dos melhores resultados obtidos entre os estados da federação.



// Deixe seu comentário

Bartolomeu Dresch


Sobre o autor