Nossa Anadia, Nossa Notícia.

O conteúdo que Anadia merece.

Blog do Geovan Benjoino

Coincidência do destino ou marketing político? Sábado, 06 de Junho de 2015

A história pode se repetir? Ela é construída ou acontece naturalmente? Os fatos decorrem das circunstâncias ou são consequências do destino? A política é uma ciência exata ou é resultado de planejamento publicitário?

A história pode até não se repetir em sua plenitude, mas o processo sucessório de Palmeira dos Índios está repetindo outro processo que aconteceu num passado não muito distante: o fenômeno político-eleitoral Albérico Cordeiro, que está sendo reproduzido através do vereador Júlio Cezar, pré-candidato à prefeitura do município. Cordeiro era radialista, jornalista, competente, orador, com forte penetração popular, tinha origem humilde e sangue africano.

Júlio Cezar também tem essas características: radialista, jornalista, competente, orador, com forte penetração popular, tem origem humilde e sangue africano.

Cordeiro foi subestimado e zombado pela elite política Xukuru-Kariri; Júlio Cezar também é subestimado e zombado.
Cordeiro transitava pelos órgãos públicos com desenvoltura buscando projetos para Palmeira dos Índios; Júlio Cezar também transita naturalmente pelos órgãos públicos em busca de projetos e programas para a terra Xukuru-Kariri.

Cordeiro e prefeito Helenildo Ribeiro, pai do atual prefeito palmeirense eram aliados, depois se tornaram adversários políticos.
Júlio Cezar e o atual prefeito de Palmeira dos Índios eram aliados; hoje são adversários.

Cordeiro foi discriminado e sofreu preconceito, mas provou que competência não tem raça, condição social nem idade.
Júlio Cezar também mostrou, através de sua inteligência, força de vontade e mérito que preconceito racial é idiotice, fruto de pobreza de espírito.

O Brasil é o país mais miscigenado do mundo. Em nossas veias corre o sangue indígena, africano, europeu e asiático. Portanto, sangue azul não tem nenhuma fundamentação científica; é uma imbecilidade sem tamanho, um absurdo inominável. Júlio Cezar, como político habilidoso que é, continua a exemplo de Cordeiro, trabalhando.

Da mesma forma que votou graciosamente em Cordeiro, o eleitorado de Palmeira dos Índios afirma que votará em Júlio Cezar.  Isso incomoda a concorrência; e como incomoda.




// Deixe seu comentário

Geovan Beijoino


Sobre o autor
Bacharel em Jornalismo pelo (CESMAC), licenciado em História pela (FABEJA-PE), cursou até o último ano de Letras pela (UNEAL). Também é técnico em Contabilidade. Atualmente cursa o 10° período de Direito na (FAMA). Publicou Seis livros: Escreveu para jornal Gazeta de Alagoas. Foi editor de "O Estadão do Tocantins", repórter da "Folha do Tocantins" e repórter da "Tribuna do Estado". No Momento edita o periódico Tribuna Popular, do qual é fundador.